Política

Palocci: Lula encomendou a Gabrielli construção de sondas para 'manter futuro político' do PT

Ainda de acordo com o documento, a ideia era "nacionalizar" o projeto do pré-sal a pretexto da geração de empresa, mas o objetivo final era atender aos interesses das empreiteiras nacionais

[Palocci: Lula encomendou a Gabrielli construção de sondas para 'manter futuro político' do PT]
Foto : Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

Por Alexandre Galvão no dia 01 de Outubro de 2018 ⋅ 15:15

Coordenador nacional da campanha de Fernando Haddad (PT) à Presidência da República, José Sérgio Gabrielli teria sido convocado pelo ex-presidente Lula a fazer a construção de 40 sondas de petróleo para garantir o "futuro político do país e do Partido dos Trabalhadores", segundo a delação do ex-ministro Antonio Palocci. 

O texto, revelado hoje (1º) pelo site O Antagonista, narra o encontro: "No início de 2010, na biblioteca do Palácio do Alvoradam com a presença também de Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma Rousseff e Sérgio Gabrielli, no qual o então presidente da República foi expresso ao solicitar do então presidente da Petrobras que encomendasse a construção de 40 sondas para garantir o futuro político do país e do Partido dos Trabalhadores com a eleição de Dilma Rousseff, produzindo-se os navios para exploração do pré-sal e recursos para a campanha que se aproximava". 

Ainda de acordo com o documento, a ideia era "nacionalizar" o projeto do pré-sal a pretexto da geração de empresa, mas o objetivo final era atender aos interesses das empreiteiras nacionais, "as quais tinham ótimo relacionamento com o governo". As empresas citadas são a Odebrecht, Andrade Gutierrez, OAS e Camargo Correa.

O ex-ministro Antonio Palocci também revela um traço da personalidade de Lula. Segundo ele, o então presidente simulava indignação toda vez que uma denúncia de ilícitos lhe chegava aos ouvidos. Ocorre que era crimes autorizados pelo próprio Luiz Inácio.

Palocci narra que, em fevereiro de 2007, após a reeleição, Lula o chamou no Palácio do Planalto, em ambiente reservado, para perguntar sobre fatos que envolviam Renato Duque e Paulo Roberto Costa.

Notícias relacionadas