Quarta-feira, 04 de agosto de 2021

Política

‘Lei não deveria proibir aquilo que não pode coibir’, diz Ismerim sobre boca de urna

Advogado criticou ainda mudanças na lei: “Único objetivo desse Congresso foi aprovar uma minirreforma calça curta para eles próprios se reelegerem”

‘Lei não deveria proibir aquilo que não pode coibir’, diz Ismerim sobre boca de urna

Foto: Tácio Moreira / Metropress

Por: Rodrigo Daniel Silva no dia 07 de outubro de 2018 às 10:15

O advogado eleitoral Ademir Ismerim defendeu, em entrevista à Rádio Metrópole, que a lei eleitoral libere a boca de urna. Ele atribuiu a redução de santinhos na cidade a falta de dinheiro dos candidatos e ao favoritismo do governador e candidato à reeleição Rui Costa (PT).

“Eu acho que a falta de grana e a forma como a eleição está em nível estadual, com uma vantagem muito grande, diminui o ímpeto. A lei proíbe [a boca de urna], mas é difícil fiscalizar. Acho que a lei não deveria proibir aquilo que não pode coibir”, afirmou.

Ismerim criticou a realização de operações policias com postulantes durante o período eleitoral e também a liberação de delações premiadas. “Poderia haver qualquer dispositivo que proibisse que essas operações pudessem acontecer. Agora, não vai com esse Congresso, porque o único objetivo desse Congresso foi aprovar uma minirreforma calça curta para eles próprios se reelegerem”, afirmou.

O advogado ressaltou que “não há fraudes” nas urnas eletrônicas brasileiras, mas se mostrou favorável à impressão de votos.

‘Lei não deveria proibir aquilo que não pode coibir’, diz Ismerim sobre boca de urna - Metro 1