Política

Bolsonaro aparece como ‘herói’ contra o petismo, analisa jornalista

Com poucas perspectivas para o futuro governo, Felipe Pena ainda apontou que, para além dos direitos humanos, Bolsonaro também é um alarde do ponto de vista da economia

[Bolsonaro aparece como ‘herói’ contra o petismo, analisa jornalista]
Foto : Divulgação

Por Marina Hortélio no dia 29 de Outubro de 2018 ⋅ 13:24

Na busca por compreender a ascensão do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), o jornalista e professor da Universidade Federal Fluminense, Felipe Pena, comparou a construção de Bolsonaro à jornada do herói, utilizada na construção de narrativas na ficção, em entrevista ao Jornal da Metrópole no Ar, na Rádio Metrópole.

"Você constrói um inimigo, que é o vilão. Ao construir esse vilão, você dá uma oportunidade para que surja o seu opositor que vai ascender como um super-herói no imaginário popular. Eu acho que atribuir a culpa [da eleição de Bolsonaro] ao PT é uma visão muito limitada do processo, é não perceber como o antipetismo foi construído ao longo dos últimos 10, 15 anos como uma narrativa de uma mídia hegemônica. Houve uma criação de um conceito e esse conceito se chama antipetismo e foi o antipetismo que elegeu Bolsonaro, mas atribuir ao PT, isso eu acho uma visão um pouco míope e torta. Nós temos que ver esse processo de construção da jornada do herói para usar um conceito de ficção que infelizmente foi aplicado na nossa realidade e elegeu um fascista como presidente da república", explicou Pena.

Com poucas perspectivas para o futuro governo, Felipe Pena ainda apontou que, para além dos direitos humanos, Bolsonaro também é um alarde do ponto de vista da economia e da política externa. "Do ponto de vista dos direitos civis, políticos e humanos, eu acho que já começa com um grande fracasso. Um dos pontos dele é transferir a embaixada brasileira para jerusalém, por exemplo. Se esse plano se concretizar a gente sabe que vai ser boicotado pelos países árabes", disse. "Só para falar em termos econômicos, já que o Paulo Guedes se mostrou bastante autoritário ontem, se rompermos com a China e entrarmos nessa guerra ao lado dos EUA, nós vamos perder 21 bilhões que foram investidos por empresa chinesas aqui no brasil", comentou sobre um possível posicionamento na guerra comercial entre os dois países.

Para Pena, o discurso de Bolsonaro tem relação e dá um aval para a série de ataques que acontecem no país desde o resultado do segundo turno das eleições presidenciais, divulgado na noite de ontem (28). "O que nós estamos vendo no país hoje, nesses quebra-quebras, nessa minorias que estão apanhando de covardes nas ruas é o narcisismo das pequenas diferenças em ação. Essa pessoas são covardes e são covardes avalizados por seu líder que chegará à Presidência da República no dia 1º de janeiro, o que será do Brasil, dessas minorias, dessas pessoas quando este homem estiver no poder se isso já está acontecendo agora", disse. 

Notícias relacionadas

[ACM Neto nega fusão do DEM com o PSL]
Política

ACM Neto nega fusão do DEM com o PSL

Por Juliana Rodrigues no dia 21 de Outubro de 2019 ⋅ 08:00 em Política

Prefeito de Salvador e presidente nacional do DEM avaliou que falta maturidade política aos membros da sigla de Jair Bolsonaro