Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

Congresso eleito em 2018 tem 1/3 de representantes investigados

Dados são de levantamento do jornal O Estado de S. Paulo; PT e MDB concentram o maior número de acusados e réus

[Congresso eleito em 2018 tem 1/3 de representantes investigados]
Foto : Wilson Dias/Agência Brasil

Por Juliana Rodrigues no dia 05 de Novembro de 2018 ⋅ 07:20

Um terço dos deputados e senadores eleitos para a próxima legislatura do Congresso é acusado de crimes como corrupção, lavagem de dinheiro, assédio sexual e estelionato ou é réu em ações por improbidade administrativa com dano ao erário ou enriquecimento ilícito.

São 160 deputados e 38 senadores, segundo levantamento do jornal O Estado de S. Paulo, com base em casos que estão em andamento nos Tribunais de Justiça dos Estados, na Justiça Federal, no Superior Tribunal de Justiça e no Supremo Tribunal Federal.

O partido com maior número de envolvidos é o PT, que tem 30 dos 62 eleitos como investigados ou réus. Proporcionalmente, o MDB é o que mais tem parlamentares na mira da Justiça: dezesseis deputados e oito senadores, o que representa 52% da bancada, contra 48% do PT.

Com o maior número de parlamentares, o estado de São Paulo é o que tem mais alvos da justiça: são 32 dos 73 deputados e senadores. Já o Rio Grande do Norte é o único que não elegeu acusados.

Notícias relacionadas