Política

MP interpreta ausência de Queiroz nos depoimentos como 'um silêncio deliberado da parte dele'

A partir da posse do senador eleito, a investigação vai seguir para um promotor de Justiça fluminense

[MP interpreta ausência de Queiroz nos depoimentos como 'um silêncio deliberado da parte dele']
Foto : Reprodução

Por Marina Hortélio no dia 21 de Dezembro de 2018 ⋅ 18:00

As duas faltas do ex-assessor de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz, aos depoimentos marcados no Ministério Público do Rio de Janeiro são interpretadas como um "silêncio deliberado da parte dele", aponta um procurador graduado do MP-RJ.

A procuradoria só pode continuar como condutora do caso, no qual Queiroz é um dos alvos, até o dia 1º de fevereiro, quando Flávio Bolsonaro toma posse como senador.

A partir da posse de Flávio, a investigação vai seguir para um promotor de Justiça fluminense, que pode pedir auxílio ao Ministério Público do Rio no andamento do caso.

Notícias relacionadas