Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

Universidade nordestina não deve ensinar filosofia, diz novo ministro da Educação

Para ele, universidades da região do país deveriam ensinar agronomia, em parceria com Israel

[Universidade nordestina não deve ensinar filosofia, diz novo ministro da Educação]
Foto : Presidência da República

Por Juliana Almirante no dia 09 de Abril de 2019 ⋅ 10:20

O novo ministro da Educação, Abraham Weintraub, acredita que as universidades do Nordeste não deveriam oferecer cursos de sociologia e filosofia. Para ele, as unidades de ensino deveriam priorizar o ensino de agronomia, "em parceria com Israel."

Weintraub defendeu o ponto de vista em transmissão ao vivo, pela internet, em setembro do ano passado, quando integrava a equipe que elaborou o programa de governo de Jair Bolsonaro. Ele discutia a questão com Luis Philippe Bragança, hoje deputado federal pelo PSL de São Paulo. 

"Eu vi aqui alguns comentários do Nordeste. O plano de energia é Nordeste na veia. O plano de energia que a gente tá fazendo, fotovoltáico e eólico, é porrada no desemprego. Rápida geração de renda. E é Nordeste, por causa da questão solar", disse Abraham Weintraub.

E continuou:"Em Israel, o Jair Bolsonaro tem um monte de parcerias para trazer tecnologia aqui para o Brasil. Em vez de as universidades do Nordeste ficarem aí fazendo sociologia, fazendo filosofia no agreste, [devem] fazer agronomia, em parceria com Israel. Acabar com esse ódio de Israel. Israel, nas faculdades federais, é loucura o que você escuta, né?", disse.

A declaração de privar estudantes nordestinos de determinados cursos pode ser comparada com as ideias do ex-ministro Ricardo Vélez. O antecessor de Weintraub declarou que "universidade, do ponto de vista da capacidade, não é para todos. Somente algumas pessoas que têm desejo de estudos superiores e que se habilitam para isso entram na universidade".

Notícias relacionadas