Política

Após cortar pagamento de empresa alvo da PF, prefeitura refaz licitação na Saúde 

O aviso de licitação foi publicado hoje (16) no diário oficial

[Após cortar pagamento de empresa alvo da PF, prefeitura refaz licitação na Saúde ]
Foto : Divulgação

Por Alexandre Galvão no dia 17 de Abril de 2019 ⋅ 09:49

Após a Operação Kepler, que investiga desvios na secretaria de Saúde de Salvador, a prefeitura resolveu refazer a licitação de administração da Unidade de Pronto Atendimento de Paripe. A UPA é gerida pela Imegi, empresa alvo de incrusões da Polícia Federal. 

O aviso de licitação foi publicado hoje (16) no diário oficial. Anteriormente, a prefeitura decidiu suspender os pagamentos à empresa. Segundo a portaria, assinada pelo secretário Luiz Antonio Galvão, os valores que constam em nome da empresa serão "redirecionados exclusivamente para o pagamento dos empregados e prestadores de serviços médicos, de enfermagem e similares, ainda que por intermédio de pessoa jurídica". 

Em resposta, a Imegi disse que desde janeiro não recebia repasse do Palácio Thomé de Sousa

KEPLER -  A operação foi deflagada no dia 20 de março e, segundo a PF, tem como objetivo de desarticular esquema criminoso que funcionava em Salvador. 

Ainda segundo a PF, as licitações eram direcionadas a beneficiar um Instituto contratado, o qual terceirizava, através de contratos superpostos e genéricos, parcelas do serviço a empresas recém constituídas e vinculadas ao próprio Instituto, tudo como mecanismo de retornar os valores das subcontratações em benefício de seus representantes e para suposto pagamento de propina a servidores vinculados à SMS/PMS.

Notícias relacionadas