Política

Não pode haver ação com caráter persecutório, diz Neto após corte na Ufba

"Esperamos que possa haver revisão por parte do Ministério da Educação", disse o prefeito

[Não pode haver ação com caráter persecutório, diz Neto após corte na Ufba]
Foto : Dário Guimarães/Metropress

Por Juliana Almirante e Cristiele França no dia 02 de Maio de 2019 ⋅ 11:12

O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), afirmou, em entrevista coletiva nesta quinta-feira (2), que espera a revisão por parte do Ministério da Educação da medida que cortou 30% da verba das universidades federais, incluindo a Ufba. 

"Já dialoguei com o reitor, professor João Carlos Salles, com minha preocupação, que deve ser de todos os baianos. A Universidade Federal (da Bahia) é patrimonio da Bahia não pode haver nenhum tipo de ação que possa trazer caráter ideológico ou persecutório à universidade. Nós não concordamos com isso e todos nós devemos lutar para que o orçamento seja preservado", avaliou o prefeito.

Ele alerta que o corte de 30% tem capaciade de inviabilizar o trabalho da universidade. "Esperamos que possa haver revisão por parte do Ministério da Educação em relação a essas decisões que foram tomadas", afirmou Neto, que também declarou que desconhece o argumento que levou o MEC a tomar a medida. 

Hoje (2), o ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou que o corte está relacionado com o remanejo de verbas para a Educação Básica. 

Notícias relacionadas