Política

PF não localiza vestígios de serviços para laranjas do PSL em gráficas

Candidaturas são ligadas ao ministro do Turismo do governo Jair Bolsonaro, Marcelo Álvaro Antônio, que presidia PSL em Minas à época

[PF não localiza vestígios de serviços para laranjas do PSL em gráficas ]
Foto : Valter Campanato/Agência Brasil

Por Juliana Almirante no dia 05 de Maio de 2019 ⋅ 08:00

A Polícia Federal não localizou, em gráficas de Minas Gerais, vestígio de que tenham de fato trabalhado para candidatas laranjas do PSL ligadas ao ministro do Turismo do governo Jair Bolsonaro, Marcelo Álvaro Antônio.

De acordo com a Folha, as buscas realizadas na última segunda-feira (29),

Quatro mulheres investigadas por supostamente terem simulado concorrer a cargos de deputada estadual e federal declararam ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que produziram material e outros serviços de campanha nas empresas, quechegaram a emitir notas fiscais.

A operação da PF, no entanto, não encontrou recibos e ordens de serviços das candidaturas nas gráficas. O resultado reforça a suspeita de que ou as gráficas não produziram nada do que foi declarado pelas candidatas ou ainda fizeram o material para outras pessoas.

A apuração da PF começou após a revelação, em fevereiro, do esquema de candidaturas de laranjas relacionado ao ministro de Bolsonaro. Álvaro Antônio, que dirigia o partido em Minas nas eleições, busca negar as irregularidades. Bolsonaro aguarda a conclusão das investigações para decidir o futuro do ministro.

A polícia considera que as quatro candidatas mentiram em suas prestações de conta. 

Notícias relacionadas