Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

Ministro da Educação considera cortes "contingenciamento"

Segundo ele, a situação das Federais vai melhorar quando a economia se recuperar

[Ministro da Educação considera cortes
Foto : Marcelo Camargo/Agência Brasil

Por Catarina Lopes no dia 07 de Maio de 2019 ⋅ 16:00

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, foi convocado por parlamentares à Comissão de Educação, Cultura e Esporte para apresentar as metas para o Plano Nacional de Educação, explicando também suas recentes medidas e declarações.

A mais recente foi a que bloqueava orçamento da Universidade Federal da Bahia (UFBA), Universidade de Brasília (UnB) e Universidade Federal Fluminense (UFF) em 30% alegando "balbúrdia", que logo expandiu para todas as universidades federais, assim como institutos federais.

Weintraub disse que não houve um corte e sim um contingenciamento no orçamento. "Se a gente conseguir aprovar a reforma da Previdência e voltar a arrecadação, volta o orçamento. Agora, a gente precisa seguir a lei de responsabilidade fiscal", declarou.

Ele também criticou o Fies. "São 500 mil jovens começando a vida com o nome sujo", afirmou. Seu foco é no ensino profissional. "O ensino profissional ficou largado lá embaixo na nossa lista de prioridades, enquanto colocamos muito dinheiro na educação superior", disse o ministro.

Notícias relacionadas