Política

Moro faz defesa da Lei Anticrime e diz que trecho da legítima defesa é 'cópia' de código alemão

Segundo projeto que ainda não avançou no Congresso, juiz deixar de aplicar pena 'se o excesso decorrer de escusável medo, surpresa ou violenta emoção'. 

[ Moro faz defesa da Lei Anticrime e diz que trecho da legítima defesa é 'cópia' de código alemão]
Foto : Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

Por Juliana Almirante no dia 21 de Maio de 2019 ⋅ 08:00

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, usou o Twitter ontem (20) para fazer uma defesa do projeto de lei Anticrime que tramita sem avanços no Congresso Nacional. 

Segundo ele, um trecho polêmico da proposta, que amplia o conceito de legítima defesa, é uma "cópia" do Código Penal alemão.

"Propomos no projeto de lei anticrime que se alguém em legítima defesa, ou seja, reagindo a agressão injusta, exceder-se, o juiz poderá deixar de aplicar a pena ou diminui-la 'se o excesso decorrer de escusável medo, surpresa ou violenta emoção'. Para desinformados seria uma norma bárbara, uma licença para matar. Já mostrei aqui que o texto proposto é uma cópia da Seção 33 do Código Penal Alemão. Mas também tem disposição quase idêntica no Código penal português, art. 33, sobre excesso em legítima defesa", afirmou Moro.

Ele então citou a legislação portuguesa, que afirma que “o agente não é punido se o excesso [em legítima defesa] resultar de perturbação, medo ou susto, não censuráveis”.

"Podemos até ser acusados de copiar e colar códigos estrangeiros, mas não de propor algo extravagante. Informe-se e apoie o projeto anticrime", publicou, convocando os próprios seguidores na rede social. 

Notícias relacionadas