Política

'A gente vai dar muito trabalho', diz Tabata Amaral

Deputada integra a comissão da Educação na Câmara e contou sobre o trabalho feito pelos 59 parlamentares que fazem parte do colegiado

['A gente vai dar muito trabalho', diz Tabata Amaral]
Foto : Luis Macedo/Agência Câmara

Por Matheus Simoni e Juliana Almirante no dia 23 de Maio de 2019 ⋅ 13:10

Deputada federal e cientista política, Tabata Amaral (PDT-SP) questionou mais uma vez as ações do governo de Jair Bolsonaro (PSL) a respeito dos rumos do Ministério da Educação. Em entrevista à Rádio Metrópole hoje (23), durante o Jornal da Metrópole no Ar, a parlamentar comentou o episódio envolvendo o chefe da pasta, o ministro Abraham Weintraub, quando ela o acusou de distribuir imagens que reproduziam conversas dela e de membros de sua equipe com funcionários do MEC que a convidavam para reuniões.

"Ele queria me coibir e, de certa forma, me ameaçar para não agir mais como parlamentar fiscalizando. Ele inventou uma história de que tinha me convidado quatro vezes e que eu tinha negado. Eu falei que era mentira, porque vou sempre a todas as conversas. Ele distribuiu para todo o publico e ameaçou que colocaria no Twitter prints de conversas do meu número pessoal com pessoas que eu conheço", declarou. 

Tabata ainda comentou a mudança no ministério desde a saída do antigo ministro, Ricardo Vélez. "A gente tinha esperança de que ia abandonar as ideologias e fazer o que deveria ser feito. A gente vê ele [Weintraub] na guerra ideológica que está, invetando fantasma e teoria da conspiração, e apresentar planejamento que é bom nada", disse a deputada, que ainda comentou as propostas feitas pelos parlamentares na tentativa de viabilizar ações para a Educação no país. 

A deputada integra a comissão da Educação na Câmara e contou do trabalho feito pelos 59 parlamentares que fazem parte do colegiado. Ela afirmou ainda que discute projetos para fiscalizar o trabalho do Ministério da Educação e entender o funcionamento das secretarias. "Tem muita coisa acontecendo. A gente vai dar muito trabalho e não é para aperriar, não é porque somos do contra. A gente está apresentando muito mais proposta da Educação do que o Executivo. Mas é para lembrar que a população está atenta", concluiu. 

Notícias relacionadas