Política

Oito parlamentares denunciados na Lava Jato aguardam STF decidir se vão virar réus

Cinco deles podem ter a situação definida nesta terça (11), de acordo com a pauta da Corte

[Oito parlamentares denunciados na Lava Jato aguardam STF decidir se vão virar réus]
Foto : SCO / STF

Por Juliana Rodrigues no dia 09 de Junho de 2019 ⋅ 11:40

Quatro deputados federais e quatro senadores denunciados pela Procuradoria Geral da República no âmbito da Operação Lava Jato aguardam o Supremo Tribunal Federal (STF) decidir se eles vão virar réus. As informações são do G1.

São seis denúncias apresentadas entre 2017 e 2018. A Corte deve definir se as acusações preenchem os requisitos mínimos para serem recebidas e convertidas em processo criminal.
Duas dessas denúncias envolvem cinco parlamentares e estão na pauta da Segunda Turma do STF da próxima terça (11). No entanto, os casos já entraram na pauta diversas vezes neste ano sem terem sido efetivamente julgados.

Espera-se que nesta terça haja a definição da situação de quatro integrantes da cúpula do PP, acusados de formação de organização criminosa para fraudar a Petrobras. São eles: o deputado Eduardo da Fonte (PP-PE), que já é réu em outra ação no Supremo; os deputados Arthur Lira (PP-AL) e Aguinaldo Ribeiro (PP-PB); e o senador Ciro Nogueira (PP-PI). Todos negam as acusações. Também está na pauta do STF para esta terça uma denúncia apresentada contra o senador Renan Calheiros (MDB-AL), que foi acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Há, ainda, quatro denúncias pendentes: duas contra a deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR), outra contra o senador Fernando Collor de Mello (PTC-AL) e uma quarta que envolve novamente Renan Calheiros e também o senador Jader Barbalho (MDB-PA).

Notícias relacionadas

[PSL deve suspender Eduardo Bolsonaro por críticas ao partido]
Política

PSL deve suspender Eduardo Bolsonaro por críticas ao partido

Por Juliana Rodrigues no dia 20 de Outubro de 2019 ⋅ 09:00 em Política

“Precisamos salvar o Brasil dos filhos do presidente”, disse o deputado Júnior Bozzella (SP), que é um dos principais porta-vozes do presidente da sigla, Luciano Bivar