Política

'Ou limpamos a casa ou achamos uma casa limpa', diz advogado de Bolsonaro 

Objetivo dos defensores é refundar PSL, o que inclui a mudança de nome da sigla

['Ou limpamos a casa ou achamos uma casa limpa', diz advogado de Bolsonaro ]
Foto : Marcos Corrêa/ PR

Por Juliana Almirante no dia 16 de Outubro de 2019 ⋅ 08:20

Após o presidente Jair Bolsonaro expor uma crise dentro do PSL, os advogados do mandatário afirmam que estão dispostos a disputar na Justiça a retirada do grupo do deputado Luciano Bivar do comando da sigla.

“Ou limpamos a casa ou achamos uma casa limpa”, declarou, em entrevista à Folha, o ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Admar Gonzaga. 

Gonzaga faz parte da defesa do presidente ao lado de Karina Kufa.  “A saída do presidente da República não deveria ser o caminho adotado, considerando que o PSL era um partido pequeno”, disse Kufa, ao defender que a sigla cresceu graças a Bolsonaro.

“Que saia o presidente (Bivar) que está lá desde 1989, que não possibilitou nenhuma eleição interna de forma minimamente democrática”, continua ela.

Bivar foi alvo de operação da Polícia Federal (PF) ontem, como parte da investigação sobre candidaturas de laranjas do PSL na eleição do ano passado. 

O objetivo dos advogados auxiliares de Bolsonaro é refundar PSL, o que inclui a mudança de nome da sigla. 

O partido realizará uma nova convenção nacional da sigla em dezembro. Atualmente, Bivar controla a maioria dos filiados que têm direito a voto e, nas contas de aliados do presidente, ele seria “engolido” se fosse para uma disputa de chapa com o grupo liderado pelo atual líder do partido.

Bolsonaro vai insistir então na via judicial, a fim de provar que o partido não está aplica recursos públicos do fundo partidário de maneira correta. 

Os advogados pretendem, ainda nesta semana, acionar o TSE para obrigar a cúpula do PSL a abrir as contas da legenda. 

Notícias relacionadas