Política

Alvo de pedido de auditoria, PSL acumula dívidas de R$ 5,9 milhões

Maior saldo devedor à União é do diretório de São Paulo, comandado desde julho pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro

[Alvo de pedido de auditoria, PSL acumula dívidas de R$ 5,9 milhões]
Foto : Divulgação

Por Metro1 no dia 17 de Outubro de 2019 ⋅ 09:40

Alvo de um pedido de auditoria por parte do presidente Jair Bolsonaro, o PSL acumula dívidas de ao menos R$ 5,9 milhões com a União, relacionados aos seus diretórios regionais. Segundo o Estadão, desse total, 86% diz respeito a multas eleitorais, aplicadas por irregularidades em gastos de campanha de candidatos do partido. Dirigentes da sigla alegam que os débitos são de responsabilidade de gestões anteriores.

A falta de transparência no uso de recursos do Fundo Partidário é um dos argumentos da ala ligada a Bolsonaro para derrubar o atual presidente do PSL, deputado Luciano Bivar (PE), que comanda o partido há 25 anos. Advogados do presidente dizem que as irregularidades no uso dos valores podem servir de argumento para uma saída de deputados do partido por “justa causa”, sem perda de mandato.

Na lista de devedores da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), órgão do governo responsável por cobrar as dívidas, estão diretórios locais do PSL que extrapolaram o prazo de 30 dias estabelecido pela Justiça Eleitoral para o pagamento dos débitos.

O que acumula o maior saldo devedor é o de São Paulo, comandado desde julho pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente. O total de R$ 1,01 milhão se refere a multas eleitorais (R$ 896,5 mil) e débitos tributários (R$ 115,2 mil). Procurado pelo Estadão, o diretório não respondeu.

Notícias relacionadas