Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Política

Instabilidade na Bolívia não pautará cúpula do Brics, diz Augusto Heleno

Ministro do Gabinete de Segurança Institucional disse que assunto será abordado de forma "discreta, sem cobranças"

[Instabilidade na Bolívia não pautará cúpula do Brics, diz Augusto Heleno]
Foto : Marcelo Camargo/Agência Brasil

Por Catarina Lopes no dia 12 de Novembro de 2019 ⋅ 19:30

O ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, disse que a instabilidade política em países da América do Sul, como Bolívia e Venezuela, não deve ter muita influência na 11ª Cúpula do Brics, grupo composto por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

“Óbvio que, para os chefes de Estado, isto é uma preocupação, mas não acredito que vá influir na pauta, que é muito bem definida", afirmou, declarando que, caso o assunto seja abordado, deve ser tratado de forma "discreta, sem cobranças". “Não há possibilidade de haver qualquer tipo de discórdia durante o Brics porque o grupo não aborda estes temas políticos e não cobra de seus integrantes posições semelhantes. Cada um pode ter sua posição política que isto não influi no desenrolar das conversas do Brics”, disse Heleno.

Apesar disso, o ministro citou o presidente russo, Vladimir Putin, que, segundo a imprensa russa, demonstrou interesse em tratar da situação boliviana em um almoço com o presidente Jair Bolsonaro, fora da reunião do Brics. Putin manifestou apoio ao ex-presidente da Bolívia, Evo Morales.

Notícias relacionadas