Política

‘Me perguntou se o príncipe era gay’, diz Frota sobre desistência de Bolsonaro de tornar Luiz Philippe vice

Supostas fotos íntimas teriam feito o então candidato a chefe do Executivo optar por Mourão

[‘Me perguntou se o príncipe era gay’, diz Frota sobre desistência de Bolsonaro de tornar Luiz Philippe vice]
Foto : Marcos Corrêa/PR

Por Lara Curcino no dia 13 de Novembro de 2019 ⋅ 19:34

O deputado federal Alexandre Frota (PSDB) afirmou hoje (13) à Folha que foi informado por meio de uma ligação de o presidente Jair Bolsonaro (PSL) teria desistido de chamar o deputado federal Luiz Philippe de Orléans e Bragança após receber fotos íntimas do príncipe. 

“Ele [Bolsonaro] estava com o [coordenador da campanha, Gustavo] Bebianno no aeroporto para embarcar para São Paulo. Era dia da convenção do PSL e ele havia convidado o príncipe Frozen [referindo-se à Philippe] para ser vice. Às 5h, me ligaram do aeroporto pedindo o celular do Levy Fidelix [presidente do PRTB] e dizendo que [Bolsonaro] iria chamar o General [Hamilton Mourão] pra vice, que não iria colocar o príncipe porque haviam mandado umas fotos do príncipe pra ele”, disse o parlamentar.

Frota continua ao falar que Bolsonaro perguntou se Luiz Philippe era gay e, após isso, desistiu de tornar ele o seu vice. “Perguntei: que fotos? Ele disse que depois me mostraria, mas me perguntou se eu sabia se o príncipe era gay ou não. Eu disse que não sabia. Ele pediu para que eu não falasse nada sobre ele deixar de ser o vice, que ele conduziria com a imprensa”, disse ele. 

Após o suposto recebimento das fotos, o então candidato à Presidência teria decidido que o atual vice-presidente general Hamilton Mourão (PRTB) seria oficializado como parte da sua chapa. “A gente se encontrou no aeroporto. Dei o celular do Levy e fui esperá-lo no aeroporto. Com ele estavam Bebianno e [candidato a deputado] Julian Lemos. Às 9h, eles chegaram. Durante o trajeto, ele ligou para o Levy e fechou com o Mourão”, completou Frota. 

Notícias relacionadas

[Bolsonaro quer iniciar 2020 com reforma ministerial]
Política

Bolsonaro quer iniciar 2020 com reforma ministerial

Por Juliana Rodrigues no dia 14 de Dezembro de 2019 ⋅ 14:28 em Política

Titulares das pastas da Educação, Casa Civil e Minas e Energia devem ser substituídos, segundo interlocutores do governo