Política

Youssef é ouvido pela Justiça em ação que PSDB pede cassação de Dilma

A Justiça Federal ouviu mais uma vez, na manhã desta segunda-feira (8) em Curitiba, o doleiro Alberto Youssef. O objetivo da Justiça é coletar informações para a ação aberta, solicitada pelo PSDB, que investiga suposto abuso de poder econômico da presidente Dilma Rousseff (PT) na campanha de reeleição de 2014. [Leia mais...]

[Imagem not found]
Foto : Reprodução/ Estadão

Por Bárbara Gomes no dia 09 de Junho de 2015 ⋅ 14:12

A Justiça Federal ouviu mais uma vez, na manhã desta segunda-feira (8) em Curitiba, o doleiro Alberto Youssef. O objetivo da Justiça é coletar informações para a ação solicitada pelo PSDB, que investiga provável abuso de poder da presidente Dilma Rousseff (PT) na campanha de reeleição de 2014.

Em depoimento, o doleiro confirmou o que tinha dito para a Operação Lava Jato e à CPI da Petrobras a respeito dos desvios na estatal, de 2004 até 2015. Mas Youssef não indicou questões diretas de corrupção na campanha da candidata do PT em 2014. O doleiro tinha apontado em acordos de delação premiada, o seu envolvimento com doações eleitorais aos partidos  PT, PMDB e PP.

Youssef foi ouvido pelo juiz Nicolau Lupianhes Neto, da Corregedoria do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e disse não ter participado diretamente de esquemas durante as campanhas das eleições porque já estava preso.

Notícias relacionadas

[Bolsonaro mira artilharia contra Doria e Mandetta no WhatsApp]
PolíticaCORONAVÍRUS

Bolsonaro mira artilharia contra Doria e Mandetta no WhatsApp

Por Matheus Simoni no dia 06 de Abril de 2020 ⋅ 09:19 em Política

'Frenético', presidente passou a compartilhar diversos áudios, vídeos e memes críticos ou irônicos em relação ao ministro e ao governador de São Paulo

[Maia diz que Bolsonaro não tem coragem de demitir Mandetta ]
Política

Maia diz que Bolsonaro não tem coragem de demitir Mandetta

Por Luciana Freire no dia 03 de Abril de 2020 ⋅ 19:00 em Política

Para o presidente da Câmara uma eventual troca mudaria a política do Ministério da Saúde e significaria que Bolsonaro não acredita no que o ministro está fazendo