Política

Entra em vigor nesta sexta-feira pacote anticrime; veja o que muda

Entre as alterações, estão novas regras para acordos de delação premiada e mudança na definição de legítima defesa

[Entra em vigor nesta sexta-feira pacote anticrime; veja o que muda]
Foto : Marcelo Camargo/Agência Brasil

Por Lara Curcino no dia 24 de Janeiro de 2020 ⋅ 09:00

Passa a valer a partir de hoje (23) o pacote anticrime, elaborado pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e sancionado em dezembro, após aprovação do Congresso, pelo presidente Jair Bolsonaro.

A nova lei altera itens do Código Penal, do Código de Processo Penal e da Lei de Execuções Penais. A pena máxima de prisão passou de 30 para 40 anos. Além disso, reações contra criminosos de agentes de segurança que previnem agressões ou risco de agressões a reféns podem não ser consideradas legítima defesa.

Agora, o cumprimento da pena passa a ser imediato para crimes com sentença igual ou maior do que 15 anos, logo após decisão do tribunal do júri. Quem cometer crimes hediondos, não terá direito a regime semiaberto.

Houve mudança ainda nas regras para acordos de delação premiada: a negociação será sigilosa e acompanhada, necessariamente, pelo advogado do investigado. O acerto poderá ser negado, caso haja uma decisão fundamentada. O réu delatado deverá ter seu direito de se defender garantido, após o fim do prazo da manifestação do outro réu que o acusou. Além disso, as negociações e o próprio depoimento devem ser gravados, entre outros.

Notícias relacionadas

[Reforma administrativa está pronta, diz Bolsonaro]
Política

Reforma administrativa está pronta, diz Bolsonaro

Por Luciana Freire no dia 22 de Fevereiro de 2020 ⋅ 18:00 em Política

Em entrevista à equipe de televisão, no Guarujá, onde passa o carnaval, Bolsonaro afirmou que o texto será entregue após o carnaval

[Bolsonaro anuncia demissão de toda a diretoria do Inmetro]
Política

Bolsonaro anuncia demissão de toda a diretoria do Inmetro

Por Luciana Freire no dia 22 de Fevereiro de 2020 ⋅ 16:00 em Política

“Implodi o Inmetro. Implodi. Mandei todo mundo embora”, afirmou o presidente na porta de um supermercado no Guarujá, onde passa o feriado de carnaval