Política

Badaró defende 'ciência da prevenção' e critica Osmar Terra: 'Precisa estudar'

Números da Bahia são melhores que o do resto do mundo, avalia infectologista

[Badaró defende 'ciência da prevenção' e critica Osmar Terra: 'Precisa estudar']
Foto : Metropress

Por Matheus Simoni no dia 19 de Junho de 2020 ⋅ 08:45

O médico infectologista Roberto Badaró comentou os dados referentes à pandemia de coronavírus no mundo e comparou com a situação da Bahia. De acordo com o cientista, o estado apresenta números melhores até mesmo que outras cidades do mundo. "Nossa taxa de mortalidade no Brasil não está diferente do mundo. Impressionante são os dados da Bahia, que tem 41.577 casos e 1.263 mortes, que dá 3%. Não estamos pior do que o mundo, pelo contrário", afirmou Badaró, em entrevista a Mário Kertész hoje (19), na Rádio Metrópole

"Isso é um reflexo do que os médicos e equipes de saúde estão aprendendo e harmonizando no modo de tratar os pacientes. É para tranquilizar a população, procurar os médicos e não se automedicar. Minhas receitas são colocadas em farmácia, já fui vítima disso. Tem que consultar o médico, cada caso é um caso e precisamos respeitar isso. Agora que nós vamos começar a paulatinamente organizar o retorno às atividades e priorizar a ciência da prevenção", disse. 

Respondendo questionamento de ouvintes da Metrópole, Badaró comentou os riscos de se tomar medicamentos sem que a pessoa apresente os mínimos sintomas da doença. De acordo com o infectologista, é necessário buscar atendimento médico. "As drogas antimaláricas e antiparasitária bloqueiam a protease do vírus. Se você não está com o vírus, não protege nada. É o mesmo que querer se curar da hipertensão", afirmou o cientista.

Questionado sobre as falas do deputado federal Osmar Terra, que minimizou os impactos da pandemia, Badaró foi enfático. "Ele precisa estudar. Está errado e precisa estudar. Se ele me der o e-mail dele eu mando uma metanálise com 171 trabalhos observacionais onde prova uma curva que favorece indiscutivelmente o confinamento. Então, ele não está lendo direito", comentou. 

Notícias relacionadas