Política

PGR apura rotatividade de funcionários no gabinete de Jair Bolsonaro na Câmara

Bolsonaro não é investigado formalmente; decisão de Augusto Aras foi comunicada ao STF

[PGR apura rotatividade de funcionários no gabinete de Jair Bolsonaro na Câmara]
Foto : José Cruz/Agência Brasil

Por Luciana Freire no dia 16 de Setembro de 2020 ⋅ 15:49

A Procuradoria-Geral da República (PGR) determinou a abertura de uma apuração preliminar sobre a rotatividade de funcionários do gabinete de Jair Bolsonaro quando atuava na Câmara dos Deputados. Bolsonaro não é investigado formalmente. A informação foi divulgada pelo portal G1.

A Procuradoria vai avaliar se há elementos que indiquem alguma irregularidade nas movimentações salariais, entre os anos de 1991 e 2018, por parte de assessores que trabalharam no escritório.

A decisão do procurador-geral da República, Augusto Aras, foi comunicada ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Reportagem do jornal 'Folha de São Paulo' publicada em julho mostrou que funcionários eram exonerados e recontratados no mesmo dia e tinham salários aumentados, o que não impedia que pouco tempo depois tivessem as remunerações reduzidas a menos de metade.

Notícias relacionadas