Saúde

Febre amarela: subcoordenadora de imunização tranquiliza população para surto

Os 21 casos de febre amarela que estão em investigação e as quatro mortes confirmadas da doença em Salvador não são de primatas humanos. Por isso, a subcoordenadora do setor de imunização da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Doiane Lemos, acredita que a população precisa ter calma e tranquilidade para lidar com essa situação da doença na capital baiana. [Leia mais...]

[Febre amarela: subcoordenadora de imunização tranquiliza população para surto]
Foto : Clarice Castro/ GERJ/ Fotos públicas

Por Luiza Leão no dia 29 de Março de 2017 ⋅ 16:59

Os 21 casos de febre amarela que estão em investigação e as quatro mortes confirmadas da doença em Salvador não são de primatas humanos. Por isso, a subcoordenadora do setor de imunização da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Doiane Lemos, acredita que a população precisa ter calma e tranquilidade para lidar com essa situação da doença na capital baiana. 

Em entrevista à Rádio Metrópole nesta quarta-feira (29), Doiane, disse que as vacinas vão ajudar na prevenção de infecções, mas destacou que não é toda pessoa que tem o perfil para receber a imunização. "Trata-se de uma vacina de cunho seletivo. Ela é de aplicação subcutânea, que tem o vírus atenuado. Alguns indivíduos têm restrição", explicou. O imunizante não é recomendado a alérgicos a ovo e pessoas que possuam imunidade baixa, por exemplo.

Ainda de acordo com Doiane, as 400 mil doses recebidas pela SMS, que começarão a ser distribuídas a partir desta quinta-feira (29), não são para uma campanha de vacinação, mas de intensificação, uma vez que Salvador não está incluída na lista de cidades que estão em áreas de recomendação contra a febre amarela. 

Distribuição  

As vacinas serão disponibilizadas em locais que ainda serão divulgados, mas a subcoordenadora do setor de imunização da SMS adiantou que o bairro de Brotas, onde o primeiro macaco infectado pelo vírus apareceu morto, será prioridade.

Notícias relacionadas