Saúde

Saída do Mais Médicos do país reflete grande perda na área da saúde para a Bahia, diz Sesab

O secretário da Saúde, Fábio Vilas-Boas, apresentou hoje dados dos benefícios recebidos no estado

[Saída do Mais Médicos do país reflete grande perda na área da saúde para a Bahia, diz Sesab]
Foto : Reprodução / Bahia.ba

Por Lara Ferreira no dia 14 de Novembro de 2018 ⋅ 18:20

Em reunião  da Comissão Intergestores Biparte, que aconteceu na sede da União dos Municípios da Bahia, em Salvador, hoje (14), o secretário da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, apresentou dados dos benefícios recebidos pela Bahia por meio do Programa Mais Médicos. 

De acordo com o secretário, ao longo dos cincos anos da iniciativa, mais de 5,6 milhões de pessoas foram atendidas, com cerca de 800 mil consultas realizadas por mês e uma cobertura de 72% de Atenção Básica. 

Estes são os números alcançados pela Bahia após a implantação do Programa Mais Médicos no país. Atualmente, o estado possui 1.522 médicos do Programa, sendo 846 cubanos, que estão alocados em 363 municípios. 

De acordo com Vilas-Boas, o programa prestava serviço extremamente relevante, sobretudo para moradores de cidades distantes dos grandes centros, que antes tinham grande dificuldade de acessar redes de saúde. “Além de possibilitar o acesso ao atendimento, o Mais Médicos vinha oferecendo atendimento de qualidade, mais humanizado à população”, explicou. 

O governo de Cuba anunciou hoje o fim do programa Mais Médicos no Brasil e a retirada dos profissionais de saúde do país, após eleição de Jair Bolsonaro para a Presidência da República. Criado em 2013, durante o governo de Dilma Rousseff (PT), o programa teve como objetivo ampliar o número desses profissionais no interior do país.

Notícias relacionadas