Saúde

Após dificuldade para atrair médicos, governo prepara readmissão de cubanos

Um edital, que será lançado ainda em fevereiro, prevê a readmissão de 1.800 profissionais com contrato de permanência de dois anos

[Após dificuldade para atrair médicos, governo prepara readmissão de cubanos]
Foto : Ministério da Saúde/Karina Zambrana

Por Kamille Martinho no dia 15 de Fevereiro de 2020 ⋅ 18:30

O Governo Bolsonaro deve reincorporar os médicos cubanos que atuavam no programa Mais Médicos e decidiram permanecer no Brasil mesmo depois que Cuba rompeu o acordo de cooperação com o país, em novembro de 2018, na atenção básica a partir das próximas semanas. 

Um edital, que será lançado ainda em fevereiro, prevê a readmissão de 1.800 profissionais com contrato de permanência de dois anos. Eles não precisarão ter feito o Revalida (exame que permite a validação no Brasil de diplomas obtidos no exterior). 

Atualmente, segundo dados do Ministério da Saúde, existem 757 vagas de médicos ociosas por conta da constante desistência de substitutos nos municípios mais vulneráveis. Assim como pretendia o Mais Médicos da petista Dilma Rousseff, o plano é que os cubanos preencham essas vagas e reforcem a rede de atenção básica nas cidades de extrema pobreza e de difícil acesso, que historicamente têm mais dificuldades para fixar médicos.

Notícias relacionadas

[Bahia tem 2,9 casos de Covid-19 a cada 100 mil habitantes]
SaúdeCORONAVÍRUS

Bahia tem 2,9 casos de Covid-19 a cada 100 mil habitantes

Por Juliana Rodrigues no dia 07 de Abril de 2020 ⋅ 11:40 em Saúde

Segundo o secretário Fábio Vilas Boas, estado é o 13º no ranking e está abaixo da média nacional, que é de 5,5 casos por 100 mil habitantes