Brasil

Prefeitura do Rio usa prova falsa em recurso contra liberação de livros pelo STF

Apresentado como "conteúdo impróprio" que justificaria a apreensão, livro português "As Gémeas Marotas" não foi exposto nem vendido durante a Bienal

[Prefeitura do Rio usa prova falsa em recurso contra liberação de livros pelo STF]
Foto : Reprodução

Por Juliana Rodrigues no dia 09 de Setembro de 2019 ⋅ 09:00

A Prefeitura do Rio de Janeiro anexou uma prova falsa em seu recurso contra a decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, de suspender a apreensão de obras na Bienal Internacional do Livro, encerrada ontem (8) na capital fluminense.

Em um texto de 13 páginas, a Procuradoria Geral do Município incluiu como “conteúdos impróprios” para crianças e adolescentes o livro português de cunho satírico "As Gémeas Marotas", de Brick Duna, direcionado a adultos. Segundo a organização da Bienal, a obra não foi exposta nem vendida durante o evento.

“Trata-se de uma obra satírica para o público adulto, publicada em 2012 na Europa, que apareceu esta semana em grupos de WhatsApp”, informou a Bienal. “Inclusive, na própria imagem usada como ‘prova’ pela Procuradoria Geral do Município é possível verificar que o valor do produto está em euro, e não em real, deixando claro que o material não estava exposto na Bienal nem em qualquer lugar do Brasil”, completou.

A organização da Bienal também apontou que a imprensa brasileira já havia verificado as informações que circularam nos últimos dias nas redes sociais sobre a presença do livro na Bienal e constatou que se tratava de uma fake news. “Vale lembrar que a Prefeitura vistoriou o festival por dois dias seguidos e não encontrou absolutamente nada que julgasse passível de qualquer questionamento legal, como o próprio comandante da ação (de busca) afirmou aos jornalistas no sábado”, acrescentou.

Notícias relacionadas

[Gebran manda soltar filho de Edison Lobão]
Brasil

Gebran manda soltar filho de Edison Lobão

Por Juliana Rodrigues no dia 14 de Setembro de 2019 ⋅ 15:40 em Brasil

Márcio Lobão terá que pagar R$ 5 milhões em fiança e estará proibido de deixar o país