Editorial

Após embate do PSL baiano com Bolsonaro, MK questiona: 'A que nível estamos chegando?'; ouça

Em comentário na Rádio Metrópole, Kertész ainda afirmou que a inabilidade do governo diante das "coisas sérias" leva a um quadro de "vergonha nacional"

[Após embate do PSL baiano com Bolsonaro, MK questiona: 'A que nível estamos chegando?'; ouça]
Foto : Tácio Moreira / Metropress

Por Metro1 no dia 21 de Outubro de 2019 ⋅ 08:32

Em comentário na Rádio Metrópole, hoje (20), Mário Kertész abordou os reflexos da crise no PSL no cenário baiano. No último final de semana, a deputada federal Dayane Pimentel (PSL-BA) e o marido dela, o secretário municipal de Trabalho, Esporte, Emprego e Renda de Salvador, Alberto Pimentel, anunciaram rompimento com o governo federal, o que rendeu ataques do deputado federal e filho do presidente Jair Bolsonaro, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP). MK lamentou a situação e questionou "a que nível estamos chegando".

"A deputada Dayane Pimentel, que era defensora emérita, perpétua, com unhas e dentes, e raiva, e tudo mais, e o esposo dela, secretário de ACM Neto, já declararam publicamente que romperam com Bolsonaro. Eduardo Bolsonaro, ontem, perguntou sobre o marido dela, que é de Feira de Santana e é secretário de Neto, e ela rebateu que ele trabalha, que ele não é fantasma etc. Quer dizer, a que nível estamos chegando? Me lembro sempre da professora Malu Fontes, que já há alguns anos dizia que estávamos no 'projeto ribanceira'. Agora já estamos no lodo. Não é mais ribanceira. Ribanceira é quando você tá em cima e ainda prestes a cair. Nós já caímos. E eu nunca pensei, sinceramente, que a gente fosse cair", pontuou.

MK também afirmou que a inabilidade do governo diante das "coisas sérias", como o vazamento de óleo no litoral do Nordeste, leva a um quadro de "vergonha nacional". Para ele, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, veio à Bahia apenas para "passear de helicóptero".

"Esse ministro que faz questão de trocar o óculos pra ver se fica mais bonitinho, lembra muito aquela peça de Nelson Rodrigues: 'Bonitinho, mas ordinário'. E aí volta a público o fato de que Bolsonaro extinguiu o conselho que tratava justamente de prevenção de acidentes ambientais. Esse é um desastre como nunca se viu, com prejuízos imensos para a fauna e flora, com prejuízo para os pescadores, para quem vive do mar, com prejuízo para o turismo, que é a grande fonte de receita do Nordeste. Lamentável. Alguém viu o governo federal mobilizar algo? Nada. Coloca esse bonitinho, mas ordinário para passear de helicóptero e trocar de óculos, como se fosse para o São Paulo Fashion Week", ironizou.

Kertész também avaliou que uma possível soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, caso o Supremo Tribunal Federal (STF) decida pela anulação das prisões em segunda instância, não deve mudar muita coisa no cenário da esquerda: "Para mim não faz diferença, porque o PT tem que caminhar muito se quiser ganhar um pouco de credibilidade".

MK ainda elogiou a atitude do Esporte Clube Bahia, que joga hoje com a camisa "manchada de óleo" em protesto contra os vazamentos no litoral do Nordeste, e louvou Santa Dulce dos Pobres: "Irmã Dulce é uma inspiração para todos nós. Eu sou judeu, mas tenho profunda inspiração. Quando soube que ela foi santificada, fiquei numa alegria imensa".

Ouça o comentário completo:

Notícias relacionadas