Editorial

Coronavírus: MK elogia medidas de Neto e Rui contra pandemia; ouça

Em comentário na Rádio Metrópole, Mário Kertész ainda criticou o presidente Jair Bolsonaro por dizer que o Ministério da Saúde gera 'histeria' a respeito da doença

[Coronavírus: MK elogia medidas de Neto e Rui contra pandemia; ouça]
Foto : Matheus Simoni / Metropress

Por Metro1 no dia 18 de Março de 2020 ⋅ 08:30

A pandemia de coronavírus voltou a ser assunto do comentário de Mário Kertész, hoje (18), na Rádio Metrópole. MK elogiou as medidas tomadas pelo governador da Bahia, Rui Costa, e pelo prefeito de Salvador, ACM Neto, no combate à disseminação do vírus. Ontem (17), o governo do Estado teve autorização judicial para usar o Hospital Espanhol como hospital de campanha durante o surto. Já a prefeitura da capital anunciou, entre outras ações, a distribuição de cestas básicas para famílias de alunos da rede municipal.

"Isso [distribuição de cestas básicas] é uma forma de ajudar, de amparar a grande parcela da população brasileira que está entrando em parafuso. E não podemos pensar só em amparar as empresas, os grandes. Temos que pensar também, principalmente, no povo mais desassistido. (...) Sinceramente, acho que aqui na Bahia temos uma coisa extremamente positiva, que é termos governador e prefeito sérios e competentes, embora de lados políticos opostos. Grandes gestores, grandes administradores. Imagine se a gente estivesse vivendo a situação do Rio de Janeiro, por exemplo?", observou.

Por outro lado, MK fez novas críticas ao presidente Jair Bolsonaro por minimizar o risco oferecido pelo surto e cobrar do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, um discurso mais "político". Para ele, as atitudes de Bolsonaro entram em contradição com o pedido do Palácio do Planalto para que o Congresso Nacional decrete estado de calamidade pública.

"O presidente Bolsonaro cobra discurso político de Mandetta e diz que a pasta da Saúde gera histeria. Histeria, presidente, com todo o respeito que seu cargo merece, quem está gerando é o senhor. Quando diz que isso é histeria, que não é tanto assim, mas no entanto este mesmo presidente ontem de noite avisou que iria mandar ao Congresso Nacional hoje um pedido de decretar emergência nacional, que permite, inclusive, fugir dos limites impostos pela lei de responsabilidade fiscal. Eu acho essa uma medida mais do que certa e espero que o Congresso resolva rápido. Agora, se ele acha que é histeria, que não é isso tudo, por que está mandando esse pedido ao Congresso? (...) O que se fala muito claramente é que Bolsonaro está muito irritado com o ministro da Saúde, porque ele está aparecendo muito e sendo muito elogiado", disse.

MK ainda endossou a declaração da diretora da Organização Mundial da Saúde (OMS), Mariângela Simão, de que os brasileiros estão minimizando o risco do coronavírus. "Quando começar a morrer gente como mosca, aí a gente vai começar a levar a sério isso. Já estamos entrando no ritmo da Itália", afirmou.

Ouça o comentário completo:

Notícias relacionadas