Editorial

MK defende 'limpa geral' nos salários dos Poderes 'para ajudar o povo'; ouça

Mário Kertész também falou sobre a exoneração da atriz Regina Duarte da Secretaria Especial de Cultura: "Enterro de primeira classe"

[MK defende 'limpa geral' nos salários dos Poderes 'para ajudar o povo'; ouça]
Foto : Matheus Simoni / Metropress

Por Metro1 no dia 10 de Junho de 2020 ⋅ 08:34

Em comentário na Rádio Metrópole, na manhã de hoje (10), Mário Kertész ironizou os frequentes recuos do governo federal e falou sobre a declaração do presidente Jair Bolsonaro, que sugeriu um corte nos salários do Legislativo para manter o auxílio emergencial de R$ 600.

"No Brasil, estamos assistindo o verdadeiro governo ioiô. (...) O governo tira o dinheiro do Bolsa Família para a publicidade, desiste. Muda o horário de divulgação das estatísticas do coronavírus, desiste, porque o Supremo Tribunal Federal chegou lá e disse 'nananinanão', e a repercussão foi a pior possível. O governo toma medida e desiste, vai e volta. Ontem teve uma reunião ministerial, que coisa bonita, sem ironia, todo mundo sério, bem comportado, salvo uma coisa que eu só posso levar na brincadeira, que é o seguinte: ao se falar da possibilidade de prorrogar o auxílio emergencial, o presidente Bolsonaro e o ministro [da Economia] 'posto Ipiranga', Paulo Guedes, que cada dia tá mais apagado, sugeriram corte no salário dos parlamentares. Eu acho justíssimo e venho defendendo isso há muito tempo. Mas por que só os parlamentares? E o Executivo? E o Judiciário, hein? Por que não faz uma limpa geral pra ajudar o povo? Não é fácil a gente jogar pra cima dos outros?", disse.

MK também falou sobre a exoneração da atriz Regina Duarte da Secretaria Especial de Cultura do Ministério do Turismo. Para ele, a demissão da artista pelo presidente Jair Bolsonaro, com promessa de um cargo inexistente na Cinemateca Brasileira, foi um "enterro de primeira classe".

"Eu fico com pena dela. Ela entrou numa gelada porque quis. Ficou lá, namoradinha do Brasil, com Bolsonaro, 'estamos namorando, vamos casar'... Perdeu o emprego na Globo, saiu desmoralizada, completamente, com todo mundo, inclusive pelas asneiras que ela disse. Você ouviu falar de Cinemateca que ela vai dirigir? Eu não ouvi falar nada. Ouvi falar no Diário Oficial que ela foi demitida. Chama-se enterro de primeira classe. É como mafioso mata, não tô dizendo que ninguém no governo é mafioso, mas quando o mafioso manda matar o rival, ele é quem manda a maior coroa de flores para o defunto e vai lá choroso abraçar a viúva e os filhos. Em política, isso é habitual. Já vi vários enterros de primeira classe", afirmou.

Ouça o comentário completo:

Notícias relacionadas