Editorial

MK avalia rompimento no Centrão: 'DEM e MDB estouraram projeto de sustentação a Bolsonaro'

"Rodrigo Maia não está nem um pouco a fim de entregar a presidência da Câmara a um bolsonarista sangue-puro", disse Mário Kertész

[MK avalia rompimento no Centrão: 'DEM e MDB estouraram projeto de sustentação a Bolsonaro']
Foto : Matheus Simoni / Metropress

Por Metro1 no dia 29 de Julho de 2020 ⋅ 08:39

Em comentário na Rádio Metrópole, na manhã de hoje (29), Mário Kertész falou sobre o afastamento dos partidos DEM e MDB do chamado "blocão" ou "Centrão" do Congresso. Para MK, a decisão pode influenciar diretamente nas eleições para as presidências da Câmara e do Senado.

"O DEM e o MDB parece que estouraram o projeto do Centrão de dar o que o presidente Jair Bolsonaro precisa, que é sustentação no Congresso Nacional. E sobretudo, influenciar a eleição do futuro presidente da Câmara e do Senado. No Senado, [Davi] Alcolumbre tá fazendo tudo pra se reeleger. Tá até mais dócil com o governo, ele é muito jeitoso, digamos assim, nesse sentido. (...) Rodrigo Maia tem muita força dentro da Câmara. Ele não pode se reeleger e não está nem um pouco a fim de entregar a presidência da Câmara a um bolsonarista sangue-puro, que faça da Câmara uma franquia do Executivo. Tomara que consiga", analisou.

MK também se disse satisfeito com a declaração do procurador-geral da República, Augusto Aras, que afirmou que a força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba possui dados sobre 38 mil pessoas. O volume de informações é maior do que o armazenado no sistema do Ministério Público Federal.  "Não se pode imaginar que uma unidade institucional se faça com segredos, com caixas de segredos", ponderou o procurador, ao falar sobre o caso em entrevista a um grupo de advogados.

"Gostei de uma declaração dura do procurador Augusto Aras, que disse 'a Lava Jato é uma caixa de segredos com dados de 38 mil pessoas. A tal República de Curitiba, que se falava, existe. Está aí. Quem tá provando isso não sou eu, nem é qualquer um, até porque eu também sou qualquer um, não tenho valor, não sou autoridade, não sou nada. Sou um livre-pensador, na melhor das hipóteses, quando consigo pensar direito. O Procurador-geral da República disse: a Lava Jato é uma caixa de segredos que tem a vida de 38 mil pessoas. E vocês viram como eles não quiseram entregar isso à PGR, à qual eles são ligados?  Que é isso? Uma república independente, tá ali, 'só quem manda somos nós, e vai ser como a gente quer'. Não é assim que a banda toca não, nego", ironizou.

Ouça o comentário completo:

Notícias relacionadas