Editorial

MK celebra Ano Novo judaico e ironiza posturas de Bolsonaro: 'Vivemos na ilha da fantasia'; ouça

"Não tenho nenhum problema em elogiar coisas sérias do governo Bolsonaro. Agora, tem absurdos que não podemos simplesmente ficar engolindo", comentou

[MK celebra Ano Novo judaico e ironiza posturas de Bolsonaro: 'Vivemos na ilha da fantasia'; ouça]
Foto : Matheus Simoni / Metropress

Por Metro1 no dia 18 de Setembro de 2020 ⋅ 08:47

Mário Kertész abriu o comentário de hoje (18) na Rádio Metrópole celebrando a chegada do Rosh Hashaná, o Ano Novo judaico. "É um dia realmente muito especial, em que a comunidade judaica no mundo todo estará celebrando e desejando que o Ano Novo seja doce. É engraçada essa forma como os judeus celebram, sempre com mel, balas, doces, para que o ano seja realmente muito bom", disse.

MK ainda voltou a criticar as posturas do presidente Jair Bolsonaro em relação ao meio ambiente e à crise sanitária provocada pelo coronavírus, bem como o descaso com os brasileiros que dependem do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

"O presidente da República vira e diz, na posse do general Pazuello como ministro efetivo, que a coisa tá passando, nós tratamos isso muito bem, e insiste na cloroquina. A entrevista que fiz ontem com a Dra. Margareth Dalcolmo foi fantástica. Que mulher, que figura de cientista, de uma pessoa séria, comprometida com a vida. Pois é. E ao mesmo tempo ontem o presidente deu parabéns ao Brasil pela forma como trata o meio ambiente. Não é um negócio fantástico? Eu acho. Nós vivemos na ilha da fantasia, porque o Pantanal está se acabando. Não é brincadeira o que está acontecendo com o Pantanal. Não é, não. Um milhão de brasileiros estão dependendo de perícias do INSS. Cinco meses parados e sem perspectiva de volta, os médicos dizem que só voltam quando fizerem todas as adaptações necessárias nas agências. E fica por isso mesmo. Um milhão. Preste atenção, é isso que a gente quer? Foi pra isso que vocês votaram? Tudo bem, votaram, tá eleito, é presidente, tem que cumprir o mandato todo, se for reeleito vai cumprir o mandato todo, porque a democracia se faz assim, e mais do que tudo eu defendo a democracia. Não tenho nenhum problema em elogiar coisas sérias e bem feitas do governo Bolsonaro. Agora, tem absurdos que não podemos simplesmente ficar engolindo", pontuou.

Ouça o comentário completo:

Notícias relacionadas