Editorial

MK avalia duas possíveis estratégias de Trump após diagnóstico de Covid-19; ouça

Em comentário na Rádio Metrópole, MK também deu apoio ao programa Renda Cidadã, mas criticou a inconsistência das decisões do governo federal

[MK avalia duas possíveis estratégias de Trump após diagnóstico de Covid-19; ouça]
Foto : Matheus Simoni / Metropress

Por Metro1 no dia 02 de Outubro de 2020 ⋅ 08:47

Em comentário na Rádio Metrópole, na manhã de hoje (2), Mário Kertész falou sobre as possibilidades envolvendo o diagnóstico de Covid-19 do presidente norte-americano Donald Trump e da primeira-dama Melania Trump.

"Eu fico pensando em duas alternativas. Ele pode ter liberado essa informação agora pra fugir do próximo debate, porque a comissão que regula o próximo debate já disse que não vai ser mais daquele modelo, que vai ser de uma forma que ele não possa interromper. Ele ficou o tempo todo bagunçando o coreto, e inclusive ele disse que [o adversário democrata, Joe] Biden estava com um fone no ouvido, e as pessoas diziam a ele o que ele ia falar. Com Covid ele não vai poder comparecer aos debates. Faltam poucos dias para a eleição. Mas por outro lado, não deve ser mentira, porque também vai impedi-lo de fazer movimentação pelo menos por alguns dias. Será que ele vai ainda viajar e ficar com pessoas, estando assim?", analisou.

MK também voltou a falar sobre as idas e vindas do governo de Jair Bolsonaro em relação ao programa Renda Cidadã. Ele se disse favorável ao benefício pelo seu poder de melhorar a vida dos "invisíveis" do país, mas criticou a inconsistência das decisões do Executivo nacional. "A Renda Cidadã é mais uma trapalhada do governo, porque... Engraçado, eu não consigo entender bem esse mecanismo. Eu acho importante ter isso. Vai ajudar politicamente o presidente? Que ajude, desde que ajude a população que precisa disso, os tais invisíveis. Sou totalmente favorável ao estabelecimento de uma Renda Cidadã, seja que nome for. Vai beneficiar politicamente o presidente? Vai. Mas e daí? A mim, o que interessa é que beneficie a população que precisa. Agora, a trapalhada é o seguinte: dizem que vai ser financiada com o Fundeb e com o calote nos precatórios, tá errado. Aí vai o presidente na porta do Alvorada, com os ministros, anuncia, depois desanuncia, que não é isso, é aquilo... É uma coisa inexplicável", disse.

Ouça o comentário completo:

Notícias relacionadas