Usamos cookies para personalizar e melhorar sua experiência em nosso site e aprimorar a oferta de anúncios para você. Visite nossa Política de Cookies para saber mais. Ao clicar em "aceitar" você concorda com o uso que fazemos dos cookies

Justiça

Áudios do padre Robson podem reabrir investigação por lavagem de dinheiro e organização criminosa

Supostamente, R$ 2 bilhões em doações de fiéis foram desviados pelo padre para compra de fazendas, um avião e uma casa de praia

[Áudios do padre Robson podem reabrir investigação por lavagem de dinheiro e organização criminosa]
Foto : Reprodução/ Instagram

Por Adele Robichez no dia 22 de Fevereiro de 2021 ⋅ 09:00

Áudios revelados pelo Fantástico ontem (21) indicam novos crimes de lavagem de dinheiro e de organização criminosa cometidos pelo padre Robson de Oliveira, da Basílica do Divino Pai Eterno, em Trindade (GO). Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), as gravações feitas por ele são suficientes para o Superior Tribunal de Justiça (STF) reabrir a investigação iniciada em agosto do ano passado e trancada em outubro.

Os arquivos, que foram gravados pelo próprio padre, em seu celular, durante as suas reuniões, revelam que ele teria pago milhões de reais adquiridos pela Associação Filhos do Pai Eterno (Afipe), criada para administrar as doações da igreja. A investigação apurava uma movimentação de R$ 2 bilhões em dez anos usando empresas com nomes semelhantes à da Afipe. Esse dinheiro, supostamente, corresponde a doações de fiéis que foram desviadas pelo padre para compra de fazendas, um avião e uma casa de praia.

Segundo a reportagem, Robson foi extorquido por um hacker em 2017; pelo jornalista Tayrone di Martino, ex-vereador em Goiânia, marido de Talitta di Martino, com quem o sacerdote teria um caso amoroso; pelo marido de uma jornalista que soube da investigação - o caso foi abafado com a ajuda da delegada Renata Vieira, amiga do padre, que foi afastada.

Anotações suspeitas também foram encontradas junto com o material apreendido. "R$ 600 mil do desembargador", diz uma delas. A polícia suspeita da cumplicidade do judiciário na ocultação dos negócios do padre.

Notícias relacionadas