Justiça

TJ-PR arquiva processo contra juíza que citou raça ao condenar réu negro

Inês Zarpelon, de Curitiba, afirmou na decisão que 'seguramente integrante do grupo criminoso, em razão da sua raça, agia de forma extremamente discreta'

[TJ-PR arquiva processo contra juíza que citou raça ao condenar réu negro]
Foto : Reprodução/RPC

Por Geovana Oliveira no dia 29 de Setembro de 2020 ⋅ 17:30

A Corregedoria-Geral do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) arquivou hoje (29) o processo disciplinar contra a juíza Inês Marchalek Zarpelon, da 1ª Vara Criminal de Curitiba, que citou raça ao condenar réu negro.

A juíza afirmou em sentença assinada no dia 19 de junho, em que condena sete pessoas por organização criminosa, que 'seguramente integrante do grupo criminoso, em razão da sua raça, agia de forma extremamente discreta'. A raça do réu foi citada cerca de três vezes no documento.

Os desembargadores destacaram, ao decidir pelo arquivamento do processo disciplinar, após análise do texto da sentença, que em nenhum momento a magistrada condenou ou aumentou a pena do réu devido a cor da pele.

Em meados de agosto a juíza Inês Zarpelon pediu "sinceras desculpas" pela menção a raça de um réu numa sentença de condenção e alegou que a frase foi retirada de contexto. Cerca de cinco dias depois, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) suspendeu por 60 dias o processo que apurava a conduta da juíza, até arquivá-lo hoje. 

Notícias relacionadas