Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Sábado, 20 de abril de 2024

Home

/

Notícias

/

Metropolítica

/

Disputa pela prefeitura de Salvador terá rodada dupla de pesquisas na próxima semana

Metropolítica

Por Jairo Costa Júnior

Notícias exclusivas sobre política e os bastidores do poder

Disputa pela prefeitura de Salvador terá rodada dupla de pesquisas na próxima semana

Dez dias após a sondagem da AtlasIntel, Real Time e Instituto Paraná iniciam entrevistas para medir as intenções de voto do eleitorado da capital

Disputa pela prefeitura de Salvador terá rodada dupla de pesquisas na próxima semana

Foto: Antônio Queirós/CMS

Por: Jairo Costa Jr. no dia 23 de março de 2024 às 10:13

A reboque da mais recente pesquisa da AtlasIntel sobre a corrida pela prefeitura da capital, divulgada em 12 de março no jornal A Tarde, dois institutos entraram em campo para esquadrinhar a atual tendência do eleitorado para a disputa de outubro. Na última quinta-feira (21), o Real Time Big Data registrou junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) um levantamento com mil entrevistados, no qual projeta dois cenários distintos referentes ao primeiro turno, com e sem a presença do ex-ministro João Roma (PL) na lista de virtuais candidatos, e quatro relativos ao segundo turno entre o prefeito Bruno Reis (União Brasil) em duelo direto contra o vice-governador Geraldo Jr. (MDB), João Roma, Kléber Rosa (Psol) ou Luciana Buck (Novo).

 

Pente fino

A pesquisa da Real Time foi encomendada pela empresa 3 Poderes Mídia e Comunicação, sediada em Brasília, com custo informado de R$ 15 mil e divulgação prevista para a próxima quarta-feira (27). Além das intenções de voto e do índice de rejeição de cada concorrente, a sondagem abrange ainda a avaliação do prefeito, do governador Jerônimo Rodrigues (PT) e do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pelos eleitores de Salvador.

 

Ajuste de foco

Na sexta-feira (22), o Instituto Paraná também registrou no sistema do TSE um levantamento com 800 entrevistados, sem simulação de segundo turno e restrito apenas aos quatro nomes com pré-candidatura confirmada em Salvador: Bruno Reis, Geraldo Jr., Kléber Rosa e Luciana Buck. Assim como a Real Time, o instituto paranaense vai captar a avaliação dos governos municipal, estadual e federal entre os cidadãos aptos a votar este ano. Encomendada pelo site Bahia Notícias por R$ 50 mil, a pesquisa deve ser divulgada na quinta-feira que vem (28).

 

VAR de aritmética

As duas sondagens servirão como comparativo para os resultados apresentados pela AtlasIntel no início da semana passada, em que Bruno Reis aparece com 51,4%, seguido por Geraldo Jr. (18,4%), Kléber Rosa (8,4%) e Luciana Buck (1,8%). Embora mantenha a mesma projeção de vitória do prefeito no primeiro turno indicada pela Atlas de janeiro, a nova pesquisa do instituto apontou um salto de seis pontos percentuais nas intenções de voto atribuídas anteriormente ao vice-governador.

 

Munição na área

A extensa lista de terrenos adquiridos pelo dono da rede de supermercados Hiperideal em leilões de imóveis públicos realizados pela prefeitura desde 2014, revelada pela Metropolítica na sexta-feira, alimentou a artilharia dos adversários do bloco político alinhado ao União Brasil. O mais duro ataque foi feito pelo pré-candidato do Psol a prefeito de Salvador. Em declarações encaminhadas à imprensa, Kléber Rosa destacou o possível "tráfico de influência" em favor do empresário João Gualberto, maior comprador de áreas leiloadas nas gestões de ACM Neto e Bruno Reis, com nove dos 39 terrenos arrematados por investidores privados.

 

Causa e efeito

As afirmações têm como base os laços políticos de João Gualberto com o grupo que comanda a prefeitura da capital há mais de uma década. Ex-prefeito de Mata de São João por três vezes e ex-deputado federal pelo PSDB, o empresário conseguiu expandir parte da rede Hiperideal com áreas vendidas pela administração municipal. Em especial, as que abrigam hoje as unidades do Itaigara, Caminho das Árvores e Avenida Orlando Gomes.

 

Viés de baixa

Integrantes do núcleo político da base aliada ao governo do estado consideram muito difíceis as chances de superar a oposição no confronto pelas 20 maiores cidades do interior da Bahia. Apesar de otimistas com a possibilidade de retornar ao poder em Vitória da Conquista e Camaçari, respectivamente, segunda e terceira colocadas no ranking, acham pouco provável vencer a batalha na maioria dos demais municípios, sobretudo, Feira de Santana, Ilhéus, Juazeiro, Eunápolis, Teixeira de Freitas, Barreiras, Porto Seguro e Jequié. Temem ainda perder o controle em Lauro de Freitas e Itabuna. A saída para minimizar danos é estimular candidaturas alternativas na tropa inimiga. A boa e velha tática de dividir para conquistar.

 

Aleluia, irmão!

Derrotado na tentativa de se reeleger deputado federal em 2022, o pastor Abílio Santana (Podemos) ganhou uma boquinha no Palácio Thomé de Souza como prêmio de consolação. Na sexta-feira (22), foi nomeado pelo prefeito Bruno Reis para o cargo de gerente na Secretaria Municipal de Governo, com remuneração básica de quase R$ 7,5 mil, fora eventuais gratificações. Curiosamente, substituirá o próprio filho, Misael Santana, exonerado no mesmo dia.

 

Recordar é viver

Um dos principais líderes da Assembleia de Deus Nação Madureira na Bahia, Abílio Santana, então filiado ao extinto PHS, foi eleito com pouco mais de 50 mil votos para a Câmara dos Deputados em 2018. Na sucessão de seguinte, recebeu cerca de 20 mil votos a menos e perdeu a vaga. Coincidência ou não, dois anos antes da eleição o pastor havia virado assunto da imprensa nacional por supostamente se negar a registrar a filha de um relacionamento extraconjugal.