Política

Janot e irmãos Batista são convidados para prestar esclarecimentos na CPMI da JBS

Foi aprovado nesta quinta-feira (21) pela Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da JBS, um convite para que o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot preste esclarecimentos sobre os procedimentos que resultaram no acordo de colaboração firmado entre o Ministério Público Federal (MPF) e executivos da JBS. [Leia mais...]

[Janot e irmãos Batista são convidados para prestar esclarecimentos na CPMI da JBS]
Foto : Agência Brasil

Por Matheus Morais no dia 21 de Setembro de 2017 ⋅ 13:01

Foi aprovado nesta quinta-feira (21) pela Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da JBS, um convite para que o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot preste esclarecimentos sobre os procedimentos que resultaram no acordo de colaboração firmado entre o Ministério Público Federal (MPF) e executivos da JBS. O chefe de gabinete do ex-procurador-geral, Eduardo Pelella, também foi convidado.

As convocações dos irmãos Joesley e Wesley Bastista, donos da JBS, e a do ex-executivo da empresa Ricardo Saud, também foram aprovadas. Na condição de convocado serão chamados o ex-procurador da República Marcello Miller, acusado de ter orientado os irmãos Batista, enquanto ainda atuava no Ministério Público, para fechar o acordo de colaboração premiada, além do ex-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) Luciano Coutinho.

Ainda na lista de nomes convidados a prestar esclarecimentos à comissão estão o ex-presidente da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) Leonardo Porciúncula Pereira e Márcio Lobo, advogado da associação de acionistas minoritários da JBS. Os depoimentos dos convidados e convocados devem ocorrer na próxima semana.

Notícias relacionadas

[Bolsonaro quer iniciar 2020 com reforma ministerial]
Política

Bolsonaro quer iniciar 2020 com reforma ministerial

Por Juliana Rodrigues no dia 14 de Dezembro de 2019 ⋅ 14:28 em Política

Titulares das pastas da Educação, Casa Civil e Minas e Energia devem ser substituídos, segundo interlocutores do governo