Política

Relator da denúncia contra Temer diz que ainda não decidiu como vai votar; parecer será entregue na terça

O relator da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer, o deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), afirmou nesta segunda-feira (9) que o parecer sobre a acusação será concluída e entregue à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na tarde de terça-feira (10).

[Relator da denúncia contra Temer diz que ainda não decidiu como vai votar; parecer será entregue na terça]
Foto : Agência Brasil

Por Paloma Morais no dia 09 de Outubro de 2017 ⋅ 16:55

O relator da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer, o deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), afirmou nesta segunda-feira (9) que o parecer sobre a acusação será concluída e entregue à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) na tarde de terça-feira (10). A reunião do colegiado está agendada para as 10h, porém, o relator afirmou que o prazo é “apertado” para realizar uma “tarefa tão complexa”. Ele afirmou também que ainda não tem uma decisão sobre seu voto. “Não tenho ainda opinião formada, quando leio um argumento que me faz pensar de um jeito, logo leio outro que me faz mudar de opinião. A coisa é complexa”, declarou.

Andrada afirmou ainda que passou o fim de semana elaborando o parecer. “Fiz só isso no fim de semana. Estou trabalhando com duas equipes: uma equipe particular dentro da minha casa e outra equipe na Câmara”, afirmou. Após a leitura do parecer, cada advogado de defesa terá o mesmo tempo usado pelo relator para se manifestar na CCJ. Depois, deverá ser concedido um pedido de vista onde os deputados ganharão um prazo extra para análise do texto. Com isso, a discussão e a votação do parecer devem acontecer somente na semana que vem.

Depois de votada na comissão, a denúncia segue para a análise do plenário da Câmara. A denúncia contra Temer só segue para análise do Supremo Tribunal Federal (STF) com a autorização dos deputados. São necessários os votos de pelo menos 2/3 dos deputados ( 342 dos 513) para que isso aconteça. A previsão é que a votação aconteça neste mês, conforme anunciou o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Notícias relacionadas