Política

Após antecipar operação contra Witzel, Carla Zambelli nega ter 'informações privilegiadas'

Deputada falou ontem à Rádio Gaúcha sobre investigações da PF contra governadores, o que gerou suspeitas entre parlamentares

[Após antecipar operação contra Witzel, Carla Zambelli nega ter 'informações privilegiadas']
Foto : Najara Araújo/Câmara dos Deputados

Por Juliana Rodrigues no dia 26 de Maio de 2020 ⋅ 12:34

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) negou hoje (26), em entrevista à CNN Brasil, que tenha sido informada sobre a operação Placebo, deflagrada nesta manhã em endereços do governador do Rio, Wilson Witzel (PSC).

Ontem (25), Carla falou à Rádio Gaúcha sobre como a PF estava investigando irregularidades cometidas por governadores durante a pandemia e faria operações “nos próximos meses”. A declaração gerou suspeitas de que a aliada do presidente Jair Bolsonaro tivesse acesso a informações privilegiadas.

“Eu não sou uma pessoa burra. Se eu tivesse informação privilegiada, eu falaria isso publicamente?”, questionou a deputada na entrevista à CNN. Ela ainda apontou, em tom de indagação: “se há algum tipo de interferência (de Bolsonaro na operação de hoje), o presidente também está agindo em cima do STJ?”

Carla Zambelli classificou como "uma feliz coincidência" a deflagração da operação Placebo menos de 24h depois das suas declarações à Rádio Gaúcha, e disse esperar que isso se repita em outros Estados.

Leia mais:

Zambelli fala em operação da PF e é acusada de ter informação privilegiada

Polícia Federal cumpre mandados na residência oficial do governador do Rio de Janeiro

PF investiga primeira-dama do Rio por ligação com esquema de desvios na saúde

Witzel diz que operação 'oficializa' interferência na PF anunciada por Bolsonaro

Notícias relacionadas