Faça parte do canal da Metropole no WhatsApp >>

Segunda-feira, 15 de abril de 2024

Rádio Metropole

Em entrevista, Marcelo Werner detalha operação da SSP durante Carnaval e prisão de líder de facção

Werner também explicou que os planos de ação para a folia do próximo ano já foram iniciadas: "A operação começa quando a do ano anterior termina", afirmou

Em entrevista, Marcelo Werner detalha operação da SSP durante Carnaval e prisão de líder de facção

Foto: Metro1

Por: Metro1 no dia 22 de fevereiro de 2024 às 19:39

Atualizado: no dia 22 de fevereiro de 2024 às 23:44

Durante entrevista à Rádio Metropole nesta quinta-feira (22), o secretário de Segurança Pública da Bahia, Marcelo Werner, detalhou a operação da SSP durante o Carnaval deste ano. Além disso, o secretário relatou ação que resultou na prisão de liderança de facção.

De acordo com o secretário, 37 mil profissionais atuaram na segurança pública durante a folia, sem registro de morte violenta e com 36 foragidos da Justiça capturados com o auxílio do Sistema de Reconhecimento Facial. Além disso, Werner explicou que os planos de ação para o Carnaval do próximo ano já foram iniciados. "A operação começa quando a do ano anterior termina", afirmou.

Neste ano, diversas ocorrências foram registradas, incluindo superlotação, falta de energia elétrica em parte do circuito Dodô, prisão de líder de facção e três casos de estupro. O secretário afirmou: "Contamos com diversas secretarias, não atuamos sozinhos". Em outro momento, Werner explicou como o uso da tecnologia ajudou nas intervenções durante os problemas: "Quando ocorreu a falta de energia, intensificamos rapidamente a presença dos militares na região".

Todas as ocorrências que não foram solucionadas ainda estão em investigação. Sobre os casos de estupro, que as investigações ocorrem sob sigilo, as câmeras estão sendo avaliadas, além das testemunhas. O outro fato, que chamou atenção, um homem, preso na Quarta-feira de Cinzas, suspeito de chefiar o tráfico de drogas, havia fugido da delegacia dias antes após ser preso durante o carnaval da capital baiana.

"É necessário esclarecer os fatos, determinar culpa, dolo ou não dolo, ouvir toda a equipe policial e preservar a integridade destes durante a operação, buscar testemunhas, câmeras e realizar perícias. Quando o fato ocorreu, declaramos que não descansaríamos até capturar o fugitivo, e assim foi feito; as equipes continuaram atuando sem interrupção", declarou. 

Confira a entrevista na íntegra: