Editorial

MK celebra 2 de Julho e elogia fala de ACM Neto sobre reabertura; ouça

"Não adianta essa pressão, ir pra porta da casa dele buzinar, porque não é essa pressão que vai levá-lo a fazer isso [reabrir o comércio]", disse Mário Kertész

[MK celebra 2 de Julho e elogia fala de ACM Neto sobre reabertura; ouça]
Foto : Matheus Simoni / Metropress

Por Metro1 no dia 02 de Julho de 2020 ⋅ 08:38

Em comentário na Rádio Metrópole, na manhã de hoje (2), Mário Kertész ressaltou a importância das celebrações da Independência do Brasil na Bahia. Embora o tradicional cortejo tenha sido suspenso devido à pandemia do coronavírus, a data será celebrada com uma programação virtual (leia mais).

"O 2 de Julho nunca foi considerado no Brasil como importante para a independência do país, mas sempre foi uma festa extremamente popular, começando em Cachoeira, a heroica Cachoeira, até chegar aqui no dia 2 de julho. Participei diversas vezes, como secretário e como prefeito, e via que era uma festa que, claro, nos anos políticos, sempre havia mobilização de grupos políticos. Mas mesmo nos anos em que não havia mobilização política, o povo ia pras ruas, enfeitava as janelas e participava ativamente. sempre foi uma festa muito bonita e muito baiana. (...) Teve algumas modificações ao longo do tempo, como parar na porta da Câmara dos Vereadores, onde o presidente da Câmara fazia um discurso, e seguia para o Campo Grande, onde havia o hasteamento das bandeiras, a pira era acesa, e aí acabava. Mas o povo, inclusive no Campo Grande, participava sempre ativamente. E era muito bom isso. E alguns dias depois, tinha a volta dos caboclos. O pessoal, ia uma turma já grande, tomando todas e mais algumas, na brincadeira, levando o caboclo e a cabocla de volta pra Lapinha. (...) Hoje não vai ter nenhuma dessas festas por conta da pandemia, mas é sempre bom a gente lembrar isso", disse.

MK também comemorou o adiamento das eleições municipais devido à pandemia e elogiou o posicionamento do prefeito de Salvador, ACM Neto, que se opôs firmemente às pressões do empresariado pela reabertura da economia.

"Gostei muito da declaração do prefeito ACM Neto. Ele está certíssimo, tem meu apoio total. Não adianta essa pressão, ir pra porta da casa dele buzinar, não vai adiantar nada. Porque não é essa pressão que vai levá-lo a fazer isso. O prefeito de Itabuna disse que abre dia 9 de qualquer jeito. Morra quem tiver que morrer. É assim que se trata a vida humana? É assim? Nós temos sorte de ter um prefeito como ACM Neto e um governador como Rui Costa, que não estão preocupados com a falsa popularidade de querer satisfazer determinados segmentos. Seria uma maravilha se a pandemia fosse assim, acabou! Pronto, todo mundo volta, vamos trabalhar, vamos ganhar nossa vida, vamos pras praias, nos divertir, fazer festa, paredão, o cacete a quatro. Mas não pode", afirmou.

Ouça o comentário completo:

Notícias relacionadas