Política

'Somos vítimas de campanha de desinformação sobre Pantanal e Amazônia', diz Bolsonaro na ONU

Em discurso na abertura da Assembleia Geral, presidente voltou a responsabilizar "o caboclo e o índio" pelos incêndios registrados nas florestas

['Somos vítimas de campanha de desinformação sobre Pantanal e Amazônia', diz Bolsonaro na ONU]
Foto : Marcos Corrêa/PR

Por Juliana Rodrigues no dia 22 de Setembro de 2020 ⋅ 11:13

Em discurso gravado e exibido hoje (22), na abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o Brasil se destaca na preservação ambiental e é vítima de "uma das mais brutais campanhas de desinformação sobre a Amazônia e o Pantanal".

Segundo o chefe do Executivo nacional, o agronegócio "continua pujante e, acima de tudo, possuindo e respeitando a melhor legislação ambiental do planeta". Ele ainda responsabilizou "o caboclo e o índio" pelos incêndios registrados nas florestas, além de afirmar que "nossa floresta é úmida e não permite a propagação do fogo em seu interior".

A fala contrasta com os dados divulgados nas últimas semanas pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), que apontou recordes de desmatamento na Amazônia e no Pantanal.

Bolsonaro ainda falou sobre a situação da pandemia no país e voltou a dizer que a imprensa brasileira "politizou o vírus, disseminando o pânico entre a população". "Sob o lema 'fique em casa' e 'a economia a gente vê depois', quase trouxeram o caos social ao país", disse.

Leia mais:

Fumaça das queimadas na Amazônia e no Pantanal atinge países vizinhos

Pantanal: Força-tarefa investiga número de animais mortos após queimadas

‘Não pode ser acidente’, diz delegado da PF sobre incêndios no Pantanal

Governo federal reconhece situação de emergência em MS devido aos incêndios no Pantanal

Incêndio no Pantanal já atinge 45% de área do MT com maior concentração de onças-pintadas no mundo

Desmatamento em unidades de conservação na Amazônia aumenta 40% em um ano

Nasa aponta que queimadas na Amazônia brasileira são fruto de desmatamento

Alertas de desmatamento na Amazônia sobem 34% em um ano, aponta Inpe

Notícias relacionadas